setembro 2018

Os custos de uma empresa interferem diretamente no valor de seus produtos e serviços. Como consequência disso, o lucro também é afetado. Por isso a redução de gastos é tão importante para a sobrevivência do seu negócio. Afinal, quanto menor for o seu custo, menor será o seu preço e maior será a quantidade de clientes. Neste artigo você vai entender a importância dessa estratégia para uma organização.

A primeira pergunta que devemos fazer antes de seguir para o assunto principal do artigo é: você sabe o que são custos?

Eu sei, a resposta parece meio obvia, mas muita gente confunde custos com investimento. Contudo, esses dois conceitos são diferentes. O custo se refere aos gastos diretamente ligados a execução de um serviço ou produção de uma mercadoria, ou seja, esses gastos são indispensáveis para o funcionamento da produção. Enquanto o investimento se refere a um gasto extra que, nem sempre, é essencial para a execução do serviço.

Agora que já fizemos essa breve introdução, vamos direto ao ponto.

Por que a redução de custos é importante?

Como já falamos na introdução deste artigo, o custo de produção da sua empresa interfere diretamente no preço das suas soluções. Afinal, como já vimos em outro post, as suas despesas são cruciais para precificar a sua mercadoria. Por isso, quanto maiores forem os seus gastos, maior será o preço do seu serviço e em um mercado tão competitivo, ter preços altos não é vantajoso. Afinal, o que chama a atenção dos consumidores são, justamente, os pequenos preços.

Portanto, a redução de custos te ajudará a reduzir os seus preços. Dessa forma você terá uma enorme vantagem perante seus concorrentes. Além disso, o seu faturamento, o seu lucro e os seus resultados aumentará proporcionalmente.

Você ainda tem dúvidas de que essa estratégia é importante para a sua empresa? Reduzir os seus gastos só trará vantagens. Contudo, essa redução deve ser feita de forma cautelosa e profissional para não afetar a qualidade ou a produtividade do seu negócio. Pensando nisso, nós, aqui da Algaris, preparamos algumas dicas para reduzir os gastos corretamente.

Dicas para reduzir os seus custos

1) Análise dos custos

O primeiro passo para reduzir os seus custos é, justamente, conhecê-los. Caso você faça uma boa gestão financeira já terá o levantamento de todos esses dados. Contudo, caso ainda não faça, registre todas as suas contas e gastos. Fazendo isso será muito mais fácil identificar o que tem exigido mais capital. Além disso, também será possível reconhecer quais gastos não são necessários para o funcionamento da sua produção.

2) Fluxo de caixa

Já falamos em outro artigo sobre fluxo de caixa. Ele é extremamente importante para evitar imprevistos financeiros. Afinal ele facilita a administração e a gestão do seu negócio.

3) Otimização dos setores

Quando um setor não produz com a sua capacidade máxima alguns gastos extras acabam sendo necessários. Isso porque, quando as ações não são bem executadas você pode precisar de mais horas, mais funcionários, energia e etc. Por isso, otimizar os setores da sua empresa e deixar tudo funcionando perfeitamente pode significar mais economia para você.

Nosso post sobre capacidade instalada é perfeito para te ajudar com essa etapa.

4) Controle do estoque

Ter um grande volume de estoque não é vantagem para ninguém. Afinal, os produtos em estoque são considerados um capital inativo, além de também significarem perda de dinheiro. Por isso é tão importante controlar o seu estoque para reduzir custos. Compre somente o necessário para manter as vendas da sua empresa. Dessa maneira você evita perder mercadoria e capital.

5) Redução de consumo

Os gastos com energia elétrica, telefonia, internet e água podem até parecer pequenos para empresas. Contudo, uma pequena redução de consumo em cada uma dessas contas pode representar uma economia considerável.

6) Gestão financeira

Uma gestão financeira bem feita tem como consequência uma grande redução de custos, além da melhora nos resultados. Isso porque quando gerenciamos corretamente os nossos recursos conseguimos identificar os gastos desnecessários e aquilo que merece mais atenção. Por isso, se a sua intenção é economizar e melhorar os seus resultados não pense duas vezes antes de contratar uma empresa para te ajudar.

Conclusão

Reduzir os custos é indispensável para um empreendimento, afinal, ao cortar os custos desnecessários você terá mais capital, melhores preços e poderá investir mais para crescer a sua organização.

Contudo, todas essas vantagens só são possíveis quando o corte desses gastos for feito corretamente. Até porque, diminuir os custos de produção e ter queda na qualidade do produto não é bom nem para você e nem para os clientes. Não adianta ter preços bons se a sua mercadoria apresentar queda de padrão.

E aí? Nosso artigo foi útil para você? Esperamos que você tenha aprendido com este texto. Para continuar recebendo nossos textos, não se esqueça de acompanhar o nosso blog.

 

Cuidar do seu capital e do dinheiro no caixa é algo extremamente importante para uma gestão financeira de sucesso. Afinal, a sua empresa precisa disso para se manter e também para crescer. Contudo, calcular apenas o capital de giro não basta, você precisa conhecer a necessidade de capital de giro. Neste artigo explicaremos tudo sobre o NCG.

O que é capital de giro?

O capital de giro é o valor necessário para manter suas atividades, ou seja, são todos os recursos que garantem o funcionamento da empresa. O capital de giro é importante, principalmente, para aqueles períodos em que você ainda está esperando o dinheiro entrar. Sem ele, manter o negócio durante esse tempo seria muito mais difícil.

O que é necessidade de capital de giro?

A necessidade de capital de giro (NCG) é um indicador do valor mínimo que a empresa precisa para garantir que suas operações continuem funcionando. É através deste indicador que você saberá se a sua empresa precisa de mais dinheiro em caixa e mais recursos para aumentar o capital de giro. Por isso, conhecer a NCG do seu negócio é crucial.

Agora que você já conhece os dois termos, chegou a hora de saber como calculá-lo. A NCG pode ser calculada de diferentes formas, a primeira forma que te ensinaremos é baseada no seu ciclo financeiro. Veja a seguir

NCG e o ciclo financeiro

Aqui o índice será dado em dias e não em termos financeiros, ou seja, nessa maneira de calcular você vai descobrir quando precisará de mais dinheiro e não a quantia de capital. Sendo assim, para essa fórmula de necessidade de capital de giro você precisa considerar os prazos médios de recebimento e os prazos médios de pagamento. O prazo médio de recebimento é, basicamente, o período entre a venda e o recebimento do dinheiro. Enquanto o prazo médio de pagamento se refere ao período entre a compra e o pagamento do fornecedor.

Para chegar ao resultado você deve subtrair os prazos médios de recebimento pelos prazos médios de pagamento. Portanto a fórmula ficará assim:

NCG = Prazos médios de recebimento – Prazos médios de pagamento

NCG e o saldo de contas

Outra forma chegar a necessidade de capital de giro é usar o saldo de contas como base. Essa é, provavelmente a mais comum. Nessa fórmula você vai considerar três coisas, são elas: contas a receber, contas a pagar e valor presente em estoque.

Para calcular usando esses três fatores você vai precisar somar as contas a receber com o valor do estoque e subtrair o resultado pelas contas a pagar. Para entender melhor, veja a fórmula abaixo:

NCG = (Contas a receber + Valor do Estoque) – Contas a pagar

NCG e o balanço patrimonial

Assim como a fórmula de cima, aqui você saberá quanto você precisa de capital de giro. Para analisar a NCG aqui você vai precisar de duas coisas, o artigo circulante operacional e o passivo circulante operacional.

O ativo circulante operacional é, basicamente, a disponibilidade financeira, ou seja, todos os bens que podem ser convertidos em dinheiro. Ex: estoques, contas a receber dos clientes, aplicações, entre outros.

Já o passivo circulante operacional se refere as obrigações financeiras da empresa como por exemplo, pagamento de salários, impostos fornecedores e etc.

Essa também é uma maneira bem simples de calcular, você só precisa subtrair o ativo circulante pelo passivo circulante. Neste caso a fórmula seria assim:

NCG = Ativo circulante operacional – Passivo circulante operacional

Conclusão

A necessidade de capital de giro é um indicador extremamente importante para a gestão financeira. Afinal, é a partir dela que você saberá quanto e quando precisará de capital de giro. Além disso, a diversidade de fórmulas permite que você escolha aquela que mais se adéqua as necessidades existentes no seu negócio.

Não deixe de fazer a sua NCG, afinal, ela é importantíssima para manter a sua empresa e o seu fluxo de caixa totalmente saudável.

Agora que você já sabe como calcular a sua necessidade de capital de giro, continue acessando o nosso blog para ficar sempre por dentro do universo de gestão.

Outro assunto muito importante para a sua gestão é o markup, clique aqui e leia o nosso artigo sobre esse assunto.

Você precificou o seu produto, mas percebeu que não vem conseguindo uma boa margem de lucro? Então o seu negócio precisa conhecer o markup. Se você vem lendo o nosso blog, já deve ter visto esse termo no nosso texto sobre precificação. Naquele post nós fizemos apenas uma introdução do que estaria por vir, mas agora chegou o momento de realmente entender o seu significado e a sua importância. Neste artigo nós falaremos tudo o que você precisa saber sobre ele e também te ensinaremos como calculá-lo.

O que é markup?

O markup é um índice aplicado sobre o custo do serviço ou produto para definir o preço de venda. Ou seja, ele nada mais é do que uma técnica de precificação que tem como objetivo alcançar um valor final que traga lucro para a empresa. É mais simples do que parece, não é mesmo?

Esse índice irá garantir que o preço do seu produto não só cobrirá os custos, como também gerar lucro. É através dele que a sua precificação será feita corretamente. Quando o cálculo é feito corretamente a gestão dos seus projetos, da sua empresa e das suas vendas se torna muito mais fácil.

Além disso, através do markup você consegue definir um percentual de desconto para atrair clientes sem que isso prejudique as suas vendas e o seu retorno financeiro. Por esses motivo que ele não é só vantajoso, mas também necessário para que sua empresa se mantenha no mercado. Afinal, como já vimos anteriormente no artigo de precificação, o preço ideal melhora os seus resultados.

E aí, conseguiu entender o que esse termo significa e como ele é importante para o lucro da sua empresa? Se a resposta for sim, então chegou a hora de aprender como calculá-lo.

Como calcular esse índice?

Antes de calcular o markup, você precisa entender um pouco de precificação. Já abordamos isso em outro post, mas daremos abaixo uma pequena introdução.

Coisas que você precisa saber antes de realizar o cálculo corretamente:

  • Despesas fixas: Essas são aquelas despesas presentes no seu orçamento todo mês, ou seja, são as contas que sempre estão presentes, como por exemplo, água, energia elétrica, internet e todas as despesas indispensáveis para o funcionamento mensal da sua empresa.
  • Despesas variáveis: São as despesas que variam de mês para mês conforme o faturamento, como por exemplo, impostos e comissões.
  • Margem de lucro: É o lucro que você deseja alcançar.

Esses 3 conceitos são primordiais para que você alcance o cálculo certo. Agora que sabemos disso, vamos a fórmula.

Para aplicar a fórmula você precisa obter os percentuais dos 3 conceitos acima, despesas físicas (DF), despesas variáveis (DV), lucro desejado (LD). Após conseguir esses percentuais, basta aplicar na seguinte fórmula:

100/100-(DF+DV+LD)

O resultado dessa fórmula já será o índice. Ao conseguir o índice, basta multiplicar pelo preço de custo do produto o serviço. O resultado será a sua precificação correta. Bem simples não é? Vale ressaltar que o indicado é que o percentual não se aproxime muito ou nem sequer passe de 100%.

Concluindo

O markup, quando feito corretamente, só traz vantagens para o empreendedor e o seu negócio. Essa técnica de precificação é capaz de ampliar os resultados da empresa. Isso porque ela garante um bom preço sem que a empresa saia no prejuízo. Através dele você vai conseguir cobrir os seus custos, atrair os clientes, dar descontos e ainda assim terá lucro.

E aí, nosso post foi útil para você? Esperamos que ele tenha te ajudado. Não se esqueça de continuar lendo nossos artigos para ter sempre dicas para o seu negócio.

O planejamento estratégico sem dúvidas é algo muito importante para que a sua empresa alcance o sucesso. No entanto, para que isso aconteça é necessário que ele seja cumprido da melhor forma possível. É aqui que surge a necessidade do desdobramento de metas. Dessa forma você divide o seu planejamento em objetivos menores afim de aperfeiçoá-los e gerir melhor o que foi planejado.

O que é desdobramento de metas?

Desdobramento de metas nada mais é que uma forma eficiente de alcançar os objetivos ou resultados esperados para um empresa. Ou seja, é uma técnica para desdobrar os objetivos em ações. Através dela você divide o seu planejamento em diversas etapas até chegar ao objetivo final. Dessa maneira, fica mais fácil executar cada etapa com excelência e saber exatamente por onde começar. Afinal, esse é um dos maiores desafios ao colocar o plano em prática.

Através dessa fragmentação dos seus objetivos você garante ações mais focadas no resultado, alinhamento estratégico, melhora no gerenciamento, facilidade da mensuração, aperfeiçoamento das etapas e maior facilidade para tomar a decisão certa.

Enquanto o planejamento estratégico vislumbra onde a empresa quer chegar, o desdobramento de metas é o caminho que te faz chegar ao resultado. É por isso que essas etapas são tão importantes para a gestão do seu negócio.

Agora que você já entendeu a importância dessa técnica e o que ela é, vamos aprender como fazê-la corretamente.

Como fazer desdobramento de metas

O primordial para fragmentar as metas corretamente é separá-las hierarquicamente e, logo em seguida identificar quais ações podem ser desenvolvidas por um determinado setor.

Para que isso seja feito de forma eficaz existem 3 métodos que podem e vão te ajudar a desenvolver esse processo, conheça-os logo abaixo.

1) Balanced Scorecard (BSC)

O BSC é uma das metodologias mais conhecidas e foi desenvolvida por professores da Harvard Business School. Esse método tem como objetivo alinhar as estratégias e as atividades operacionais de uma empresa. Os objetivos do planejamento são organizados de acordo com alguns indicadores. Dessa maneira fica mais fácil mensurar e analisar o andamento de cada meta.

2) Key Perfomance Indicator (KPI)

Essa metodologia se preocupa com o modo que as tarefas serão realizadas. Por isso ela cria indicadores para analisar o desempenho e o andamento de cada etapa do processo. Essa metodologia pode ser útil tanto para dar uma ideia específica de cada tarefa, quanto para dar um ideia global do planejamento como um todo.

3) Objectives and Key Results (OKR)

Esse método cria uma estrutura de ações que se relacionam a fim de atingir os objetivos. Enquanto os objectives descrevem e se referem aos objetivos almejados, o key results analisa, através de métricas, se o objetivo foi realmente atingido.

Existem outras metodologias que podem te ajudar no desdobramento de metas, contudo, nesse post citamos apenas as 3 mais conhecidas. Para definir qual delas é a melhor opção para a sua empresa, uma consultoria pode ser a solução, afinal eles saberão identificar qual método mais atende a sua empresa.

Vale ressaltar que, apesar das metodologias serem de grande ajuda, para que elas realmente funcionem e tragam os resultados esperados toda a equipe precisa estar alinhada, além de ter ciência da importância de cada meta.

Se você quer alcançar o sucesso e conseguir sempre bons resultados, a precificação correta também é algo essencial para o seu negócio. Leia mais sobre clicando aqui.

E aí, gostou do nosso texto? Continue acompanhando nosso blog. Toda semana teremos informações e dicas excelentes sobre gestão e consultoria, tudo pra ajudar você e a sua empresa.